Porque um tempo longe de seu telefone seria bom para sua alma

Posted by | Janeiro 26, 2018 | Reflexão | No Comments

Com o gasto americano médio de 2 horas por dia nas mídias sociais, um número crescente de vozes argumenta que precisamos aprender a nos afastarmos por um tempo. Uma vez que os engenheiros das redes sociais construíram suas plataformas para atrair sua atenção, fazer isso dará muito mais trabalho do que você pensa. No entanto, quando você considera o que o tempo longe de nossos dispositivos fará para nossas vidas espirituais, aproveitamento do ministério e saúde emocional, a dor de colocá-los de lado vale absolutamente a pena.

Aqui estão cinco maneiras de colocar seu telefone de lado tornando sua vida mais frutífera e mais alegre.

Mais tempo na Palavra de Deus

Eu concordo com Jen Wilkin que estamos no meio de uma “crise bíblica de alfabetização”. Ao ler uma literatura do início do século XX, fiquei convencido de que a pessoa comum em 1918 sabia mais sobre a Bíblia do que a maioria dos seguidores de Jesus hoje. Essas coisas não devem ser assim.

Não podemos culpar a falta de ferramentas ou a falta de acesso ao ensino Bíblico sólido para o nosso conhecimento deficiente da Palavra de Deus, de modo que o único remédio é o tempo gasto na leitura profunda e na reflexão sobre a Palavra de Deus. Não podemos esperar que isso mude drasticamente, pois sabemos que a Palavra de Deus demanda toda a vida. Então, devemos resolver passar o tempo nas Escrituras todos os dias.

Além disso, aproveite o tempo que você gastaria em mídias sociais ou jogos de distração e use para trabalhar na memorização das Escrituras. Mesmo que você “tenha uma memória ruim”, você poderia aprender dois ou três versículos das Escrituras todas as semanas. Se você tirar dez ou quinze minutos por dia para essa prática, ela produzirá grandes benefícios.

Mais tempo na Palavra de Deus

Eu admitirei que a observação que estou prestes a fazer vem de meus antecedentes e experiência pessoal. Cresci em uma cidade de mil e quinhentas pessoas e conheci quase todos os que viviam a uma curta distância da minha casa. Agora eu moro em um subúrbio e mais pessoas moram no meu bairro do que na minha cidade natal.

Nós não conhecemos mais as pessoas que vivem a nossa volta. Antes costumávamos trabalhar no jardim da frente e saíamos para caminhar, agora nos sentamos em nossas casas olhando nossos celulares. Nós “permanecemos em contato” com milhares de pessoas, mas não temos interações reais com as pessoas que vivem na proximidade física da gente. Eu me deparo com inúmeras pessoas que não conhecem os nomes de seus vizinhos de porta e não saberiam como entrar em contato com eles em uma emergência.

Quando colocamos nossos celulares de lado e nos envolvemos com as pessoas que nos rodeiam, algumas coisas boas podem acontecer. Temos a oportunidade de conhecer novas pessoas. Podemos desfrutar de conversas sobre as coisas mais importantes da vida. Recebemos e damos incentivo. Nós fazemos novos amigos. Isso não acontecerá, no entanto, quando priorizarmos “amizades” digitais superficiais sobre as reais.

Mais tempo para atividades agradáveis

Antes de pegar meu computador para escrever este parágrafo, eu comi um pacote de Oreos. Eu não só comi Oreos. Eu mergulhei eles no leite e depois os comi. Eu desafio você a encontrar um lanche melhor, mas seria uma ideia terrível comer isso como uma refeição regularmente. O sabor pode ser fantástico, mas está carregado de açúcar e duvido que haja alguma coisa saudável nisso.

Da mesma forma, ficar no celular parece ser uma boa distração, mas é um hobby horrível. Nós fomos feitos para fazer coisas, construir coisas, aprender coisas e aproveitar as coisas. Cal Newport teoriza que nossa incapacidade de agendar e dedicar tempo para satisfazer atividades agradáveis é impulsionada por nossa determinação de uma atividade baixa ou sem satisfação, como ficar nas mídias sociais. Pense se você colocou o celular de lado uma noite e jogou um jogo com a sua família, entrou na garagem e criou alguma coisa, ou leu um bom livro. E se em um belo sábado você planejasse uma excursão com sua família ao invés de permitir que a família se afogasse em um mar de dispositivos? Mesmo que vocês assistissem a um filme juntos, pelo menos, todos estão experimentando a mesma coisa em vez de serem imersos em outra coisa.

Menos dependência da afirmação dos outros

Deus nos fez com vontade de desejar afirmação e aceitação, mas muitas vezes encontramos em outros lugares o que devemos buscar somente nEle. Por causa de Cristo, não preciso da afirmação de ninguém porque sou plenamente aceito e amado perante o Pai. Em muitos dias, isso não é o suficiente para mim.

Pessoas altamente qualificadas, inteligentes e bem remuneradas executam o Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat e qualquer outra coisa que seja popular no momento em que você está lendo isso. Eles compreendem psicologia humana, biologia, fisiologia e comportamento e usam esse conhecimento para engenharia de plataformas que atraem uma quantidade cada vez maior de sua valiosa atenção. Os números de notificação vermelha do Facebook, os pequenos corações cor-de-rosa e as notificações no Instagram e no Twitter são pequenos sucessos de dopamina que fazem com que você volte novamente e novamente. Cada um deles diz que alguém acha que você é inteligente, engraçado, interessante ou bonito.

Para o cristão, tirar um tempo dessa compulsão afirmativa ajudaria. Nós nos tornamos dependentes do feedback e ele faz com que você pegue seu celular constantemente. Isso significa que você ignora as pessoas ao seu redor e nunca se concentra profundamente em coisas que importam. Tire esse tempo para lembrar do Evangelho e do Pai que te ama. Por causa de Jesus, você não tem nada para provar e ninguém para impressionar. Você não precisa de likes, comentários e retweets. Você tem uma aprovação que é infinitamente melhor.

Menos frustração com as opiniões de outras pessoas

Eu desenvolvi amizades boas e duradouras com pessoas que eu inicialmente fui apresentado no Twitter. No entanto, isso é uma exceção e não regra. As mídias sociais, especialmente o Twitter, tendem a tornar-me mais cínico sobre as pessoas, porque estou exposto a suas opiniões sem me expor a mais nada sobre elas. Não conheço seus antecedentes, suas famílias, suas lutas ou seus triunfos. Eles são um avatar e uma série de letras.

Se eu sigo uma pessoa no Twitter e não as conheço na vida real, fico frustrada com suas opiniões abertas e raramente tenho a capacidade de fazer perguntas claras sem ofensas. Na vida real, quando um amigo faz uma declaração estranha, temos o relacionamento que me permite desafiá-lo e ele pode fazer o mesmo comigo.

Além disso, como pastor, o que as pessoas estão falando no Twitter não é o que as pessoas da minha igreja geralmente estão pensando. Essas opiniões ficam na minha cabeça e formam o caminho pelo qual eu abordarei os aspectos de minha pregação e minha aplicação. O problema, porém, é que essas preocupações geralmente não são as preocupações das pessoas na minha igreja ou comunidade. Quando faço logoff e converso com pessoas de carne e osso na minha comunidade, minha capacidade de abordar suas preocupações com a palavra de Deus aumenta exponencialmente.

Como começar

Muitas vezes nos falta a autodisciplina para colocar nossos celulares de lado, especialmente se eles estão vibrando. Se você está pronto para se afastar por um tempo, aqui estão alguns passos que você pode seguir. Primeiro, desligue suas notificações. Não deixe que seus aplicativos o chamem quando você está longe deles. Em seguida, exclua os aplicativos que mais o distraem e remova o navegador da Web do seu telefone. Além disso, você pode encontrar alguém para prestar contas ou instalar aplicativos em seu celular que o ajudarão. O app Freedom bloqueia sites e aplicativos por um período de tempo específico e o app Moment te diz quanto tempo você gasta em seu celular.

Lembre-se de que cortar algo nunca é o suficiente. Você deve substituí-lo por algo melhor. Leia, caminhe, construa algo, sirva alguém ou fale com alguém. Redescubra como era a vida antes que esses aplicativos começassem a controlar toda a sua atenção. No final, você encontrará um modo de viver que o conforma à imagem de Cristo, te dá maior alegria e aumenta seu aproveitamento na vida de outras pessoas.

Este post é uma tradução de um artigo de Scott Slayton, publicado originalmente no blog Desiring God, traduzido e publicado com permissão do autor. O artigo original pode ser encontrado no link: Why Time Away from Your Phone Would be Good for Your Soul
Scott Slayton é o pastor principal na Chelsea Village Baptist Church em Chelsea, Alabama. Sua igreja faz parte da Convenção Batista do Sul e da Acts 29 Network. Seu objetivo é ver as vidas transformadas para a glória de Deus através do Evangelho de Jesus Cristo. Ele faz isso proclamando o Evangelho, construindo uma família que vivem nessa missão juntos e plantando outras igrejas centradas no evangelho em sua cidade e em todo o mundo.
By John Piper. ©2018 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org
* Traduzido por Aline Brandão
* Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, link do blog INCONFORMADOS, tradutor, blog original, não altere o conteúdo e não utilize para fins comerciais.

* Créditos da imagem

Posts Relacionados

About Inconformados

Leave a Reply

Your email address will not be published.