O Direito Irá Roubar o Seu Descanso

Posted by | setembro 22, 2017 | Reflexão | No Comments

Recentemente, muitos dos meus amigos foram convidados para uma viagem internacional com tudo pago. Ótimo para eles – mas me deixaram de fora.

Minha primeira reação foi, claro, não me alegrar com a sorte deles, ou me deleitar neles que iriam desfrutar de uma incrível experiência. Inicialmente, meu coração estava com inveja, machucado, e ardendo sob um senso de direito.

Estou nos meus 25 anos, e a minha geração é marcada por nossas atitudes de exigir direitos. Pensamos que merecemos mais do que temos, e quando não temos o que queremos, a sirene do direito começa a tocar. E quando isso acontece, frequentemente agimos irracionalmente – de uma forma que, olhando de fora, parece tola.

Então, como podemos reconhecer o nosso próprio senso de direitos, e tomar medidas para entrega-los a Deus? Primeiro, precisamos entender o que os direitos verdadeiramente são.

Do maior para o menor

Direito é uma crença de que inerentemente merecemos privilégios ou tratamentos especiais, ou que temos direito a algo. Direito não mostra parcialidade; ele alcançará os maiores presentes da vida e reivindicará os menores prazeres. Quando ele chega a partes importantes da vida, nós podemos nos pegar pensando sobre estas questões:
• “Mereço ter filhos, então por que estou lutando com a infertilidade? Além do mais, não são as crianças uma benção de Deus?”
• “Estou cansado(a) de ser solteiro(a). Permaneci puro e busquei a Cristo, então por que Ele não trouxe um(a) esposo(a) em minha vida?”
• “Sou muito trabalhador. Não entendo por que ainda não consigo encontrar um emprego bem remunerado.”

Mas, direitos também podem tocar em questões pequenas:
• “Sou uma boa dona de casa e trabalho duro para manter a casa limpa e arrumada. Mereço ter uma casa melhor e maior.”
• “Trabalho tão duro para prover minha família. Mereço assistir TV quando chegar em casa.”
• “Tenho ido bem com minhas finanças. Mereço comprar o que eu quiser em troca”

É claro, como pecadores, a única coisa que merecemos é o juízo de Deus. Portanto, nós não estamos exagerando as coisas quando dizemos com John Piper, “Um senso de merecimento ou direitos nos impedirá de conhecer a Cristo”.

Como Lutar Contra Direitos

Se os direitos são tão perigosos, e frequentemente tão sutis, como podemos lutar contra isso? Eu recomendo três passos para mudar de um espírito que exige direitos para um espírito de descanso: diagnosticar seu coração, lembrar-se de seu Deus, e imitar seu Salvador.

1. Diagnostique Seu Coração

O primeiro passo para deixar os direitos é reconhecer a presença deles em nossos corações. Para chegar lá, podemos fazer-nos perguntas que cavam abaixo da superfície das nossas emoções. Por exemplo, podemos nos perguntar coisas como essas:
• Em quais áreas da minha vida eu estou descontente?
• Por que estou sentindo agora tanto desapontamento?
• O que eu acho que preciso para viver uma vida abundante?
• Como estou comparando minha vida as dos outros?

Uma vez que avaliamos nossos corações e descobrimos as sombras do direito à espreita, nós não ficamos lá. Ao invés disso, saímos de nós mesmos e lembramos do nosso Deus.

2. Lembre o seu Deus

No Salmo 23:1, Davi proclama que o Senhor é o seu pastor, e nada o faltará. Como Davi pôde dizer isso? Porque ele conhecia intimamente o coração do Bom Pastor. Ele sabia que Deus promete sempre amar Seus filhos (Sl 36:7). Ele sabia que Deus nunca o deixaria ou esqueceria (Sl 139:7-12). Ele sabia que Deus sempre o sustentaria (Sl 62:1-2). Ele sabia que Deus era suficiente (Sl 27:4). Porque ele sabia todas essas coisas, ele podia confiar completamente que Deus cuidaria dele – ainda que estivesse no “vale da sombra da morte” (Sl 23:4).

Se Deus realmente é bom, então temos tudo o que precisamos para vida e piedade. Podemos descansar contentes no que Ele escolhe nos dar, e no que Ele escolhe reter. Isso não significa que não devemos orar e pedir a Deus por coisas. Mas, isso significa que se Ele escolhe dizer, “Não” ou “Espere”, nós podemos confiar que Suas respostas são boas e amorosas.

Apegue-se à promessa de que Deus ama você, mesmo quando você não consegue o que desesperadamente quer. Use estes sentimentos como um catalisador na oração. Não podemos salvar-nos desses sentimentos de direitos. Não podemos fazer o nosso coração melhorar. Mas Deus pode, e Ele fará isso enquanto derramamos nossos desejos e desapontamentos diante dEle e esperamos em Suas promessas.

3. Imite ao Seu Salvador

Cristo foi o único que sempre teve verdadeiramente direitos. Ele não merecia carregar nossos pecados na cruz. No entanto, escolheu renunciar os Seus próprios desejos, Seu próprio conforto e Seu próprio prazer para o nosso eterno bem. Paulo belamente nos relembra que Cristo deixou de lado seus direitos para que nós pudéssemos compartilhar de Sua glória (Fp 2:5-8).

Como Cristãos, não devemos somente confiar em Deus quando não conseguimos o que queremos. Nós devemos também seguir o exemplo do nosso Salvador e escolher por desistir daquilo que pensamos merecer. A recompensa pode não ser imediata, mas nós iremos nos tornar mais parecidos com Cristo, e isso sempre vale a pena.

A humildade e a vontade de renunciar os nossos direitos não são virtudes valorizadas em nosso mundo, mas elas são incrivelmente lindas para Cristo.

Corações em Descanso

É bom que nós não tenhamos tudo o que desejamos nesta vida. Estes desejos vazios nos lembram de onde vem a nossa verdadeira satisfação: Cristo e Cristo somente. Nas famosas palavras de Agostinho de Hipona, “Inquieto está o nosso coração enquanto não repousar em Ti”.

Que nós troquemos os nossos direitos por um espírito descansado em Cristo. Que nós possamos levar nossos corações inquietos e cheios de direitos para o trono da graça e rendê-los ao nosso Pai amoroso.

Este post é uma tradução de um artigo de Chelsea Patterson Sobolik , publicado originalmente no blog Desiring God, traduzido e publicado com permissão do autor. O artigo original pode ser encontrado no link: Entitlement Will Rob You of Rest
Chelsea Patterson Sobolik (@Chelspat) vive e trabalha no coração de Washington D.C. Ela é a autora do próximo livro, Longing for Motherhood: Holding On to Hope in the Midst of Childlessness (Moody, 2018).

 
 

By John Piper. ©2017 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org
* Traduzido por Samuel Figueiredo
* Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, link do blog INCONFORMADOS, tradutor, blog original, não altere o conteúdo e não utilize para fins comerciais.

* Créditos da imagem

Posts Relacionados

About Inconformados

Leave a Reply

Your email address will not be published.