Espere mais de homens jovens

Posted by | junho 13, 2017 | Para homens | No Comments
video-games-controller-playstation-fun

Ao longo da história, pensamos em nossos jovens como incansáveis, saudáveis e feitos para a atividade. Palavras como impulsionados, habilidosos e em busca de aventuras vêm à mente.

As possibilidades para homens jovens são infinitas. Eles podem suportar o jugo em sua juventude e estabelecer as bases para o resto de suas vidas. Eles podem se casar, ter filhos e prover para uma família e para outros – ou, pelo menos, obter o treinamento, a educação e a experiência que lhes permitirão prover.

Estamos ansiosos para ver jovens que exercem energia porque todos sabemos o que acontece quando você coloca testosterona junto com a capacidade de trabalhar para o reino. E também sabemos o que acontece quando você mistura a mesma testosterona e a capacidade com ociosidade. O antigo ditado prova que é verdade: “o diabo encontra trabalho por mãos ociosas”.

Solteiro, sem filhos, ocioso

Imagine isso: um em cinco jovens com pouco estudo não está trabalhando e não está buscando casamento, e eles parecem felizes com isso. Ninguém quer ver, mas estamos olhando para isso. De acordo com o economista da Universidade de Chicago, Erik Hurst, homens jovens com idade entre 21 e 30 anos sem diploma universitário trabalharam muito menos horas em 2015 do que em 2000 e, em 2015, 18% desses homens relataram não trabalhar no último ano (em 2000 eram 8%).

Hurst descreve isso como quase um quinto da população simplesmente ociosa: não está na faculdade e não está trabalhando. 70% desses jovens vivem com seus pais (em 2000 eram 50%). Esses jovens não são casados, não têm filhos e não têm renda. Eles são jovens, solteiros, sem filhos e ociosos.

Felicidade virtual

O que, então, esses jovens estão fazendo com suas vidas? De acordo com Hurst, eles estão jogando videogames. O tempo de lazer, em grande parte gasto jogando jogos em computadores e outras superfícies, duplicou do início dos anos 2000 até 2015.

Quando Hurst transmitiu essas estatísticas a Russ Roberts, anfitrião do Econtalk Podcast, Roberts mal podia acreditar nos números ou aceitar a ideia de que tantos jovens escolheriam viver com seus pais e não trabalhar para que pudessem jogar videogames.

Em resposta à incredulidade de Roberts, Hurst apontou para “dados de felicidade”, o que indica que a satisfação de vida relatada desses “jovens com pouco estudo” aumentou.

Esses rapazes não são casados, não estão trabalhando, jogando videogames no porão da mãe e amando isso.

Hurst especula que se esses jovens estivessem na rua, eles seriam obrigados a trabalhar, mesmo por salários relativamente baixos. Mas por causa do que ele chama de “transferências privadas”, que se refere à forma como seus pais financiam suas vidas, eles não precisam trabalhar. Então eles não trabalham.

Difícil amar o ocioso

O apóstolo Paulo tem uma solução simples para tal dilema: “Se alguém não estiver disposto a trabalhar, não coma” (2 Tessalonicenses 3:10).

Ele não vai conseguir um emprego? Ele quer ficar sentado no porão jogando Playstation o dia todo? Pare de estocar a geladeira. Corte o fornecimento de comida. É hora de ele se prover.

Isso parece duro? Na verdade, seria uma grande gentileza. E o que se sente ou parece ser amável é muitas vezes cruel.

Provérbios 19:18 adverte os pais: “Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar.” Não vamos tornar fácil para os jovens serem preguiçosos para que eles não tenham nenhum custo, para que permaneçam dependentes de seus pais, treinando-os para procurar todas as lacunas possíveis para não terem de trabalhar.

Baixas expectativas, intolerância suave

Deus criou o homem para trabalhar, prover, liderar e proteger. E criando o homem à sua imagem e semelhança, Deus o criou para mostrar o Seu próprio caráter ao suportar toda a criação. Deus cria, provê, protege e lidera. E Deus não faz nada disso porque ele precisa dessas coisas, mas por causa dos outros.

Um ex-presidente dos EUA referiu-se anteriormente à “intolerância suave das baixas expectativas”. Esperar que um homem em seus vinte anos permaneça desempregado, sem educação e solteiro enquanto dedica sua energia, empregando sua ingenuidade e exercitando sua criatividade navegando na web ou jogando vídeo games é esperar nada dele. E esperar nada de alguém é o pior tipo de insulto.

Mas esperar que ele forneça, proteja e lidere é destacar seu valor e potencial como homem feito por Deus. É assumir que ele tem dignidade.

Encontrar algo para fazer é tão simples como prestar atenção. Mas a nossa sociedade não espera que os meninos façam mais isso, e temos todos os tipos de desculpas que fazemos para eles. Se não treinarmos meninos para prestarem atenção aos outros, fazerem sacrifícios, correrem riscos e trabalharem duro, vamos roubá-los da vida plena e frutífera de que são capazes.

O Novo Testamento lança uma visão melhor para homens jovens na igreja do que a nossa sociedade faz hoje. Não aceitamos a sua imaturidade, nem olhamos para a sua juventude (1 Timóteo 4:12), mas os encorajamos como irmãos (1 Timóteo 5: 1). Nós não lhes damos um passe, mas esperamos que eles cresçam em domínio próprio (Tito 2: 6) e “fujam também das paixões da mocidade; e sigam a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.” (2 Timóteo 2:22). Estamos esperamos que eles possam lidar com as Escrituras, para que eles tenham a palavra de Deus neles (1 João 2:14) e – marque isso – vençam o maligno (1 João 2:13), o que é incomensuravelmente mais satisfatório do que ganhar nos videogames.

Vamos ajustar a nossa visão primeiro e, em seguida, treinar nossos jovens para perceber o propósito e o potencial deles. Vamos ajudá-los a ver o bem no design de Deus para o trabalho – como o trabalho contribui para o mundo e nos faz mais parecidos com Jesus. Vamos inspirá-los a sonhar sonhos maiores do que conquistar a próxima fase na tela. Sobretudo, mostremos que a felicidade não é encontrada no entretenimento, na comida ou na liberdade, mas no Deus que se aproximou de nós em Cristo.

Este post é uma tradução de um artigo de Jim Hamilton, publicado originalmente no blog Desiring God, traduzido e publicado com permissão do autor. O artigo original pode ser encontrado no link: Expect More from Young Men
hamilton_1443284166Jim Hamilton é professor de teologia bíblica no Southern Baptist Theological Seminary e é o autor do novo livro Work and Our Labor in the Lord.

 
 
 
 

By John Piper. ©2017 Desiring God Foundation. Website: desiringGod.org
* Traduzido por Aline Brandão
* Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, link do blog INCONFORMADOS, tradutor, blog original, não altere o conteúdo e não utilize para fins comerciais.

* Créditos da imagem

Posts Relacionados

About Inconformados

Leave a Reply

Your email address will not be published.